ENG 🇬🇧
Exportação Maconha

Cannabis

Conheça os Dois Argentinos que Fizeram a Maior Exportação de Maconha da História

Por Hernán Panessi

Conheça os Dois Argentinos que Fizeram a Maior Exportação de Maconha da História

✍ 14 enero, 2021 - 05:28

“Há mercado, não estamos inventando pólvora. Temos o círculo armado, não é nada de outro mundo ”, naturaliza Lucas Crivilone, que até agora este ano já vendeu cerca de 10 toneladas de flores de cannabis. Da CPlant, sua empresa, ele estabeleceu um precedente muito importante na indústria da maconha legal: ele realizou a maior exportação global da história.

Contenido relacionado: Cannabis Medicinal en Argentina Presenta Oportunidad de USD 1.000 Millones en los Próximos 10 años

Lucas, que é economista, e seu sócio, o empresário Guido Husni, lançaram as bases de um negócio milionário. E eles ainda têm menos de 30 anos. “Para fazer frente ao projeto, mostramos como é o comércio internacional do produto e entramos em contato com as autoridades competentes locais e dos países onde é vendido”, diz Lucas.

Conhecendo a planta e seus benefícios, na CPlant eles encontraram um negócio disruptivo e uma estrutura legal que os protege. O destino? Uruguai. Assim, Lucas e Guido deixaram Buenos Aires e se estabeleceram em terras Charrúa. “A eleição do Uruguai tem a ver com uma legislação sólida e avançada.

Crivilone e Husni

Além disso, é um país com uma estabilidade econômica, política e social que possibilita esse tipo de empreendimento ”, explica Ricardo Perna, Diretor de Operações. Mais tarde, eles viajaram para feiras de negócios, encontraram investidores internacionais e encontraram sua rede de compradores. “Mostramos seriedade, bom produto e temos preços competitivos mundialmente, é claro”, completa Lucas, diretor executivo.

O êxito

Desde 2019, a CPlant surgiu como uma empresa verticalmente integrada. Crivilone: “Oferecemos um serviço ponta a ponta. Trabalhamos com produtores, fornecemos genética, assessoria, secagem, acondicionamento e venda a grossistas e retalhistas. Trabalhamos com inflorescências, sementes feminizadas, grãos comestíveis e fazemos biomassa para extração ”.

Contenido relacionado: El Primer Parque Industrial Cannábico de Argentina: Hablamos con el Intendente de San Pedro

Sobre o seu sucesso, Perna acrescenta: “Nosso segredo foi criar uma empresa com tarefas bem definidas. Conhecemos o mercado e conseguimos fazer o estado uruguaio entender este novo conceito de produtos de maconha ”.

Novos horizontes

Entre julho e agosto deste ano, a CPlant fez a primeira exportação para a Europa de inflorescências com THC inferior a 1%. “Calculei cerca de 14 toneladas por ano, mas vão acabar sendo cerca de 20”, surpreende Crivilone.  Abrindo o jogo, hoje procuram chegar ao consumidor final.

“Estamos desenvolvendo outras pernas da indústria”, continua. Em suma, eles estão interessados ​​em ingressar no negócio de varejo de cannabis e seus derivados.

“Nunca pensamos nisso como um pequeno projeto, sonhamos com algo grande mas bem dirigido”.

“A CPlant está se posicionando como uma marca de excelência na indústria da cannabis. Atualmente, estamos estabelecendo duas novas marcas de varejo. Nossa clientela reside principalmente na Europa e nos Estados Unidos, mas para o próximo ano esperamos nos posicionar no mercado latino-americano”, complementa Husni.

Então, como essa história continua? “Além disso, estamos abrindo escritórios na Europa e um centro de distribuição nos Estados Unidos. O que se segue é deixar de ser uma empresa uruguaia para ser global ”, continua o Diretor Financeiro.

Contenido relacionado: 7 Consejos para Trabajar en la Industria del Cannabis

Além disso, no início de 2021, eles planejam expandir com 1% de cannabis psicoativa. “É o que nos interessa a todos”, explica o Diretor Executivo.  Desta forma, de acordo com o compasso do negócio, o mercado de cannabis projeta-se em uma valorização incomensurável. “À medida que mais países se abrirem para a indústria, veremos a demanda global aumentar exponencialmente”, conclui Husni.

Fotos: Cortesia CPlant

¿Tienes ideas o comentarios? Puedes contactarnos en info@elplanteo.com

Síguenos en Instagram, Facebook y Twitter.


Todo el material compartido por ElPlanteo.com tiene fines únicamente periodísticos e informativos.

Hernán Panessi

ACERCA DEL AUTOR

Hernán Panessi, editor periodístico en El Planteo, es un periodista especializado en cultura joven. Escribe en las revistas InfoTechnology, Rolling Stone, THC y Lento. Además, en Página/12, El Planeta Urbano, El Cronista y en el periódico uruguayo La Diaria. Colaboró para Revista Ñ, Clarín, La Nación, La Cosa, Playboy, Haciendo Cine, Billboard, Los Inrockuptibles, Forbes, VICEBenzinga, High Times y Yahoo, entre otros.

Hernán escribió los libros Porno Argento! Historia del cine nacional Triple X, Periodismo pop, Una puerta que se abre y Rock en Español. Fue docente en el Centro Cultural Rojas (UBA) donde dictó talleres de periodismo. Además, es programador de la sección VHS del Festival Internacional de Cine de Valdivia, en Chile.

Conduce FAN, programa periodístico sobre cultura, sociedad y vida moderna. Por su parte, también condujo en las FM Delta 90.3 y Nacional Rock 93.7. Asimismo, fue columnista en La Once Diez y Metro 95.1.

También puede interesarte

goldman sachs coinbase
shirota
arketamina depresión
vehículos eléctricos