variedades marihuana tipos marihuana

ABC

Tipos de Maconha: Quantas Variedades ou Cepas de Cannabis Existem?

Por Franca Quarneti

Tipos de Maconha: Quantas Variedades ou Cepas de Cannabis Existem?

✍ 17 September, 2023 - 14:19

Artigo elaborado com informações de The Bluntness, adaptado por Franca Quarneti.

OG Kush. Pinaepple Express. Super Lemon Haze. Você certamente notou que existem muitas variedades diferentes de maconha. E sim, a maioria delas tem nomes engraçados.

Mas, qual é a diferença entre as variedades de maconha? Quantas variedades de cannabis existem no mundo? Neste artigo, explicamos tudo o que você precisa saber.

Conteúdo relacionado: Os Nomes das Cepas de Maconha Já Não Servem: O Que a Indústria Está Fazendo a Respeito?

Conteúdo

  1. O que são as variedades de maconha?
  2. Tipos de variedades de cannabis
  3. O que são as variedades sativas?
  4. O que são as variedades índicas?
  5. O que são as variedades híbridas?
  6. Quantas variedades de maconha existem?

O que são as variedades de maconha?

Normalmente, as pessoas chamam as diferentes variedades de maconha de “cepas”, embora isso faça pouco sentido do ponto de vista científico. Por quê? Porque, no mundo da botânica, diferentes variedades de plantas são chamadas de cultivares, não de cepas. A palavra “cepa” é geralmente reservada para bactérias e vírus, não para plantas.

No entanto, na cultura popular e canábica, a palavra “cepa” ficou popular nos anos 80 e tem sido usada desde então. A maioria das lojas de maconha e usuários de cannabis usam esse termo para se referir às variedades.

Então, cada cepa individual é uma variedade de cannabis que foi criada por um cultivador de cannabis por suas características específicas.

Tipos de variedades de cannabis

Em geral, as variedades de cannabis são divididas em três categorias clássicas: índica, sativa e híbrida. No entanto, para surpresa de muitos, pesquisas descobriram que essa classificação tem pouca influência no efeito que um usuário pode experimentar ao experimentar uma variedade.

Conteúdo relacionado: As Melhores Cepas de Maconha de Todos os Tempos, Segundo Especialistas

Pelo contrário, os estudos demonstraram que os efeitos de uma variedade dependem da combinação de compostos químicos que a flor produz. Isso significa que se você se sente sonolento, energizado ou intoxicado com uma cepa específica de cannabis, isso depende do quimiotipo da planta, não de sua condição como índica ou sativa.

Mas o que é um quimiotipo? Um quimiotipo é como uma impressão digital química. Diferentes famílias de plantas produzirão diferentes perfis de compostos aromáticos e psicoativos. Os compostos que formam esses perfis determinam em parte os efeitos mentais e físicos que a variedade terá ao fumar ou ingerir maconha.

Isso ocorre especificamente com as diferentes combinações de terpenos que podem ser encontradas na planta. O aroma distintivo de cada variedade e seu efeito também dependem dos terpenos.

Por exemplo, algumas cepas são mais propensas a produzir compostos que causam sonolência, enquanto outras não. Além disso, algumas cepas produzem mais THC do que outras, tornando-as potencialmente mais intoxicantes.

Se você usa a planta de cannabis com propósitos medicinais ou outros motivos, essa distinção pode ajudá-lo a ajustar sua rotina de cannabis.

Agora, a distinção índica/sativa é boa para dar uma ideia geral das características fenotípicas da variedade. Um fenótipo é um conjunto de características físicas expressas que são geneticamente herdadas – assim como algumas pessoas herdam olhos azuis de seus pais, algumas plantas de cannabis herdam folhas largas. Aqui está um resumo prático da diferença entre plantas de cannabis índica e sativa.

O que são as variedades sativas?

No senso comum dos usuários, é comumente aceito que as cepas sativa são mais energéticas do que sedativas. No entanto, os efeitos reais que cada variedade produz não dependem tanto de sua condição como índica ou sativa.

Na realidade, a palavra sativa se refere mais à descrição das características físicas da planta. Portanto, é esperado que uma planta de cannabis sativa produza folhas estreitas, seja alta e tenha um período de floração longo.

Conteúdo relacionado: Índica, Sativa, Híbrida: Qual é a Diferença?

A maioria das variedades cultivadas hoje em dia são tecnicamente híbridas. No entanto, algumas plantas expressam fortes fenótipos de sativa. Três das variedades sativas mais populares são Jack Herer, Sour Diesel e Green Crack.

O que são as variedades índicas?

Por outro lado, o “conhecimento comum” sustenta que as cepas indicas geram mais sono e são menos energéticas. Mas isso não é verdade: a sonolência de uma variedade depende da presença de moléculas aromáticas sedativas, como o terpeno mirceno.

Além disso, uma variedade não precisa necessariamente ser índica para produzir mirceno, e nem todas as índicas têm terpenos sedativos.

Mais do que tudo, o termo índica pode ser aplicado a certas características físicas. As plantas de cannabis índica tendem a ser curtas, robustas e com folhas largas, e têm um período de floração mais curto. Além disso, as plantas desta categoria geralmente se adaptam melhor a climas frios.

Três das variedades índica mais populares são Purple Punch, Zkittlez e Grandaddy Purple.

O que são as variedades híbridas?

Entretanto, a cultura canábica geralmente considera que as variedades híbridas são o resultado do cruzamento de progenitores índica e sativa conhecidos. No entanto, a maioria das variedades modernas de cannabis são híbridas do ponto de vista científico.

Isso ocorre porque as novas cepas são criadas cruzando diferentes cultivares em um processo chamado hibridação.

Conteúdo relacionado: Nada de ‘Índica’ ou ‘Sativa’: Por Que Todas as Cepas de Maconha São Híbridas

E, como a maioria das cepas de cannabis que conhecemos são híbridas, pode ser bastante complicado listar com precisão as variedades que podem ser classificadas sob esse nome. No entanto, na perspectiva da cultura popular, algumas das variedades híbridas mais famosas são GG4, Blue Dream e OG Kush.

Quantas variedades de maconha existem?

Tentar definir exatamente quantas variedades de cannabis existem é quase impossível. Isso ocorre porque novos híbridos de cannabis são criados o tempo todo. Por exemplo, Leafly, um dos maiores bancos de dados de cepas de cannabis, tem mais de 3.600 variedades únicas de cannabis registradas em seu site. Muitas, não é?

A questão é que a grande maioria dessas variedades é de menor conhecimento, pois não são conhecidas pelo público em geral.

Por outro lado, uma estimativa geral de especialistas da planta calcula que existam mais de 700 variedades únicas diferentes, uma vez que o restante pode ser derivado dessas 700.

Por que essa grande diferença nos números? Porque o cannabis se reproduz de forma muito semelhante às pessoas. Portanto, quando duas plantas se cruzam, as sementes resultantes herdam informações genéticas tanto do macho (planta pai) quanto da fêmea (planta mãe).

Como resultado, é possível gerar muita diversidade genética entre diferentes plantas de cannabis. Isso também facilita a escolha de plantas com características desejáveis e cruzá-las para criar uma nova planta que contenha o melhor de ambos os progenitores.

Conteúdo relacionado: O Que os Nomes das Cepas de Maconha Dizem Sobre o Produto?

Por exemplo, a cepa híbrida Blue Cookies é o resultado do cruzamento de duas variedades populares, Girl Scout Cookies e Blueberry.

Foto por Diyahna Lewis via Unsplash

Publicação original: fevereiro de 2021

Mais conteúdo do El Planteo:

¿Tienes ideas o comentarios? Puedes contactarnos en info@elplanteo.com

Síguenos en Instagram, Facebook y Twitter.



Todo el material compartido por ElPlanteo.com tiene fines únicamente periodísticos e informativos.

ACERCA DEL AUTOR

Franca Quarneti es periodista y forma parte de la redacción de El Planteo, el medio cannábico más leído de habla hispana. Se especializa en temas relacionados a la regulación del cannabis y la política, pero también escribe sobre cultura, entretenimiento, gastronomía y ecología.

Sus artículos fueron publicados en medios de renombre internacional como Benzinga, Forbes, High Times, Green Entrepreneur, Yahoo Finance, MSN y más. Además, en Argentina colaboró con Revista Replay, una publicación boutique especializada en videojuegos retro, y fue traducida al portugués por el portal brasileño Weederia.

Estudió periodismo en TEA y se encuentra cursando la carrera de Comunicación Audiovisual en la Universidad Nacional de San Martín (UNSAM).

 

También puede interesarte

invenciones marihuana
family game cartuchos
Acciones de Canopy Growth
terrascend